PESQUISAR CONTEÚDOS

Carregando...

sábado, 16 de janeiro de 2010

O HAITI: A Pérola das Antilhas

Disputas políticas e revoltas populares permeiam a história do país mais pobre do Ocidente. A atual situação do Haiti foi construída a partir de sua história, que mostra a falta de governo e a desunião do povo.
O Haiti foi descoberto por Cristóvam Colombo em 1492. A colonização espanhola escravizou os nativos na produção agrícola e cerâmica. Ainda neste período, o país sofreu muita influência da França, que assinou em 1697 um tratado com a Espanha, no qual obteve o controle do Haiti. A população nativa praticamente desapareceu por conta da força das doenças. Os franceses trouxeram escravos africanos para trabalharem na lavoura açucareira que crescia no país. Por volta de 1780, viviam na colônia cerca de 500 mil negros, 24 mil mestiços e 32 mil brancos. Neste período, o Haiti, comparando o seu território e sua rentabilidade com os das outras colônias das Américas, poderia ser considerado umas das colônias mais ricas no continente. Por isso, o país era chamado de a “pérola das Antilhas”.


O Haiti foi ainda o primeiro país latino americano a declarar independência. A população escrava, com uma imensa superioridade numérica, sob a liderança do escravo Mackandal, desencadeou em 1754 a revolta que resultaria em quatro anos de guerrilha. Mackandal utilizou os ritos de vodu para aterrorizar a classe branca. Desde este primeiro rebelde à Revolução Francesa, inúmeras revoltas aconteceram. Os negros receberam apoio e financiamento dos ingleses e espanhóis, inimigos da França. Toussaint l’Ouverture, um escravo negro que aprendera a ler e adquirira certa cultura intelectual liderou a revolução. Em 1794, a França declarou a abolição da escravidão nas colônias, conseguindo que Toussaint passasse a apoiar as autoridades francesas.


Toussaint ganhou prestígio entre os negros e os brancos. Em 1801, após derrotar os ingleses e espanhóis, Toussaint preparou a independência do Haiti como um estado associado à França revolucionária. Mas Napoleão Bonaparte, que estava comandando o novo governo revolucionário francês, rejeitou a proposta e tentou recuperar a colônia rica. Toussaint foi levado para a França, onde morreu prisioneiro por traição. Um dos generais dele, o ex-escravo e analfabeto Jean-Jacques Dessalines, continuou a revolução e conseguiu expulsar as tropas francesas. A proclamação da independência do Haiti ocorreu em 1º de janeiro de 1804. Os espanhóis ainda dominavam a parte leste do país. A unificação só ocorreu em 1820.


Desde a unificação até 1843, o país esteve sob o governo do ditador Jean-Pierre Boyer. A partir daí, o caos começou a se instalar no país. Foram vinte e um governantes. Um deles, Faustin Soulouque, nomeou-se imperador, instaurou novamente as práticas de vodu e conquistou a República Dominicana. O país vizinho reagiu e levou à derrocada do governo de Soulouque. Em 1905, os Estados Unidos intervieram, a fim de cobrar a dívida externa e passaram a dominar as alfândegas. Dez anos depois, os EUA levaram suas tropas ao país e assumiram o governo.
Em 1934, os EUA retiraram suas tropas e, em 1941, abdicaram do controle alfandegário. Daí então inúmeras revoltas populares e golpes de Estado aconteceram seguida por três ditaduras. A história recente do Haiti repete o caos do passado. De 1950 a 1957, o país foi governado por Raoul Magloire, que deu direito aos cidadãos de votar, mas decidiu permanecer no poder, com a ajuda militar. Até que o novo ditador chegasse ao poder, foram sete governantes.


Dinheiro do Haiti: É o GOURDES GOUD


Moedas do Haiti


Palácio Presidencial
Era Considerado a A CASA BRANCA DO HAITI
Realmente era um Palácio Muito Bonito


Continuando: Com a ditadura de François Duvalier, o Haiti sofreu seu pior período. Ele era médico e sanitarista, reconhecido e prestigiado mundialmente, por conta de seu envolvimento com o movimento negro. Seu trabalho de combate à malária nas áreas rurais o tornou conhecido como Papa Doc (papai médico). Mas a repressão militar que trouxe ao país apagou a sua boa fama. Após sua morte, em 1971, seu filho Jean Claude Duvalier, o Baby Doc, assumiu o poder aos 19 anos e deu continuidade ao regime de terror imposto pelo pai. Jean Claude foi deposto em 1986 por um golpe militar.

A redemocratização só ocorreu em 1990, quando a população elegeu o padre Jean Bertrand Aristide para presidente. Mas outro golpe militar instaurou nova ditadura. Aristide só retornou ao poder, com auxílio dos Estados Unidos, em 1994. Mas a miséria já estava instalada no país. O padre permaneceu no poder até janeiro de 2004, quando a ala rebelde fez inúmeros mortos na capital do país, Porto Príncipe. A ONU interveio em fevereiro e o presidente fugiu para a África do Sul. A missão de paz da organização conta com inúmeros países. A chegada dos soldados brasileiros ao país coincidiu com o início da estabilização, como conta Diogo Batista, que esteve no país entre novembro de 2007 a junho de 2008:
“Quando o meu contingente chegou, a situação no país já havia melhorado muito. Alguns soldados remanescentes contavam sobre as dificuldades de levar ajuda. Os aviões com os suprimentos nem conseguiam pousar. Eram interceptados, sequestrados pelas gangues que saqueavam e tentavam vender muitos produtos trazidos pela ajuda. Na minha época, isso já não acontecia com muita frequência. Os bairros onde eu fazia patrulha ainda tinham muitas gangues, mas elas não estavam tão organizadas quanto antes e era fácil prendê-los”.



Quando o Haiti começou a conhecer um pouco de ordem, um terremoto devastador levou o país a um novo caos. As autoridades internacionais presentes no país temem novas revoltas da população que está, em grande parte, desabrigada, sem água, luz e alimentação.



Moeda Haitiana



Selos do Haiti


Em Partes O Hati tem Belas Praias



Bandeira do Haiti
No Interior o Brasão do Haiti


O Haiti é um país de Montanhas, que vai até
a divisa com a Republica Dominicana Já foi o Paraíso das Antilhas, o Haiti



"MUITO EXPLORAÇÃO DE UM POVO PARA O TRABALHO, APENAS COM A IDÉIA DE SUGAR O QUE TINHAM, LEVOU A TRAUMAS PARA ESSA NAÇÃO;
AGORA O HAITI DEPENDE DA AJUDA INTERNACIONAL PARA SE REERGUER NOVAMENTE SOLIDARIEDADE PARA COM OS HAITIANOS."

Faixada do Palácio Presidencial Antes, que foi destruída agora


O terremoto de 7 graus na escala Richter que sacudiu o Haiti na terça-feira foi 35 vezes mais potente que a bomba atômica lançada em Hiroshima (Japão) no final da Segunda Guerra Mundial. A afirmação foi feita hoje por Roger Searle, professor de geofísica na Universidade de Durham (Reino Unido), que comparou também a energia liberada pelo terremoto no país caribenho com a explosão de meio milhão de toneladas de TNT. O terremoto foi na terça-feira dia 12/01/2010 às 16:35 no Haiti, incluindo a República Dominicana, Cuba e Bahamas foi emitido pelo Centro para Alertas de Tsunami no Pacífico.


Está é uma resposta a argumentos que tantos fazem e só ficam de longe observando tais acontecimentos.
***

Fontes: História do Haiti.
Escrito por: Emanuelle Bezerra do Opinião e Notícia

Um comentário:

Zé do Guaira disse...

ola bom noite! não tem que fazer pra ficar comentando isso rapaz ...
coloque coisas boas !!!